Algumas pessoas tendem a confundir o conceito de poupança e investimento e usam um como sinônimo do outro. Mas, saiba que sim, existe uma clara diferença entre poupar e investir dinheiro.

Embora um hábito financeiro complemente o outro, quando falamos em poupar, estamos nos referindo mais a corte de despesas e reserva de dinheiro para gastos futuros, e quando investimos, utilizamos nosso dinheiro para obter algum retorno econômico no futuro. 

Então, se você ainda tem dúvidas sobre o que é poupar e o que é investir, continue conosco e veja o que difere um do outro!

O que é economizar dinheiro?

Poupar significa formas de economizar, ou seja, quais despesas e gastos podemos cortar do nosso orçamento para sobrar mais dinheiro ao final do mês.

Assim, podemos dizer que são concessões que fazemos no dia a dia para juntar dinheiro para usar com outros gastos.

Uma boa estratégia para economizar é eliminar gastos e manter seu dinheiro na conta bancária, tendo assim uma quantia a disposição para qualquer eventualidade que surja. 

O que é investir?

Na prática, podemos dizer que investir é uma sequencia de economizar dinheiro, pois você pode usar a quantia que tinha disponível para aplicar em ativos financeiros e assim obter rendimentos com eles.

Ou seja, o investimento é o dinheiro que optamos não usar no hoje para obter um retorno extra daqui alguns meses. 

Mas, atenção, pois é necessário compreender que sempre há um risco ao investir nosso dinheiro, principalmente nas aplicações de renda variável.

Principais diferenças entre poupar e investir dinheiro

A principal distinção entre poupar e investir reside no fato de que, ao optar por poupar, abrimos mão do uso desse capital, preservando-o, porém sem aumentá-lo. No futuro, teremos a mesma quantia de dinheiro economizada.

Por outro lado, se decidirmos arriscar e investir nosso dinheiro, não vamos usá-lo no presente e como recompensa por isso, no futuro poderemos obter um retorno que aumentará nosso patrimônio. 

Confira a seguir mais detalhado as principais diferenças entre cada um desses hábitos financeiros!

Desempenho

O rendimento é a compensação que obteremos pelo nosso investimento. Na poupança, o retorno é muito baixo ou nulo, pois o dinheiro está protegido, mas não está ativo, gerando retorno. 

Em contrapartida, no investimento, o retorno existe mas é impreciso, ou seja, podemos ter um retorno grande ou baixo.

Liquidez

Liquidez é a capacidade de um ativo se converter em prata no curto prazo. Na poupança, a liquidez é muito alta, já que costumamos poupar à vista. 

Em contraponto, o investimento, varia em função do produto em que investimos o nosso dinheiro, como, por exemplo, se é da renda fixa ou variável.

Risco

O termo risco representa a incerteza sobre a evolução da nossa prata durante a poupança e investimento. Ou seja, é a possibilidade de um investimento nos dar um resultado diferente do esperado. 

Quando poupamos, o risco é baixo ou nulo porque o dinheiro está protegido, mas, quando investimos, o risco varia consoante o produto em que investimos o nosso dinheiro (ações, FCI, imóveis, etc.).

Tempo

É o período durante o qual nosso investimento será mantido. Se pouparmos, o horizonte de tempo é de curto prazo, enquanto o investimento pode ser de curto, médio ou longo prazo, pois quanto mais tempo mantivermos nosso dinheiro investido, maior será o retorno que obteremos.

Poupança e investimento: o que é melhor?

Para decidir entre poupança e investimento, devemos ter clareza sobre nossos objetivos e preferências na hora de ter dinheiro. 

Se pouparmos, teremos sempre o mesmo capital, não aumentará, mas permanecerá estável ao longo do tempo e poderemos usar esse ativo sempre que quisermos. 

Por outro lado, se fizermos um investimento, buscamos aumentar nosso capital, mas perderemos liquidez, ou seja, não poderemos dispor de nosso dinheiro no curto prazo, caso contrário teremos que esperar um determinado tempo para acessá-lo. 

Se tivermos dificuldade em decidir entre um ou outro, devemos ter em mente que para começar a poupar podemos aplicar a regra 50-30-20 à nossa economia diária. 

Esta regra consiste em destinar 50% de nossas receitas para cobrir despesas de necessidades básicas (luz, alimentação, etc.), 30% é o valor que poderíamos destinar a gostos e lazer (passeios, férias, etc.) e 20% é o que vai para a poupança.

Se somos daqueles que correm riscos e o investimento é a nossa praia, podemos fazê-lo através de vários instrumentos financeiros, imobiliário, ações, criptomoedas e etc. 

Um fato que não é menor e que devemos ter em mente quando avaliamos poupança e investimento na Argentina, é que o crescimento de nosso capital sempre será influenciado pela quantidade de dinheiro que temos e, no caso de investi-lo, no período de tempo em que vamos fazê-lo.

De modo geral, quanto maior a quantidade de dinheiro e tempo investido, maior o retorno econômico que obtemos.