Há quem acredite que não podemos viver sem dinheiro, há quem diga que esse é apenas um meio capitalista e que não precisamos de tanto e há também aqueles que dizem que não é o financeiro que traz felicidade… 

Mas, o fato é que querendo ou não, tudo o que fazemos hoje em dia gira em torno do dinheiro, não é mesmo? Por isso, é tão essencial saber qual é o nosso perfil financeiro, ou seja, como lidamos com nossas finanças.

Neste guia especial, vamos te apresentar os cinco perfis financeiros mais comuns aqui no Brasil, detalhando cada um, mostrando suas vantagens e desvantagens. Vamos conferir?!

Qual é o perfil financeiro do brasileiro?

A não ser que você decida viver como um nômade e abdicar de tudo o que a vida moderna tem a oferecer, sem sombra de dúvidas precisará de “cash”, especialmente para pagar as contas básicas que batem a nossa porta no fim do mês, como as despesas com luz, água e até mesmo com a alimentação. 

É justamente por isso que precisamos trabalhar tanto, afinal, é praticamente impossível viver hoje em dia se não tivermos uma fonte de renda, não é mesmo? 

O problema (ou talvez solução) é que nem todos os brasileiros enxergam o dinheiro da mesma forma e isso é que nos torna tão diferentes e únicos. 

Por isso, existem diferentes tipos de pessoa quando o assunto é dinheiro no Brasil. De acordo com a ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), temos cinco perfis em que os brasileiros se encaixam quanto à forma como lidam com o dinheiro: Construtor, Camaleão, Planejador, Despreocupado e Sonhador. 

E muito além de idade, classe social e escolaridade, a relação que temos com nosso dinheiro indica um reflexo do que somos.

Ou seja, o valor e a importância que damos à esse recurso está diretamente ligado a forma como vemos o mundo e as pessoas ao nosso redor, as nossas crenças e objetivos de vida, enfim.

E quanto a você, em qual perfil se encaixa? Será que é o tipo de pessoa que gasta tudo como se não houvesse amanhã ou é mais controlado e prefere pensar em longo prazo? 

Vamos descobrir? Então, veja a seguir um pouquinho mais sobre cada tipo de pessoa e descubra como é a sua relação com o dinheiro!

Perfil construtor

O construtor é o brasileiro que gosta de dinheiro na mão e sua maior característica é: crescer sempre e devagar! 

Por isso, estamos falando do destaque entre os brasileiros (30% da população é construtora), ou seja, o perfil mais comum entre a população, sendo aquelas pessoas que gostam de ter o controle das situações e cuidam do dinheiro dia após dia, mesmo que em pequenas quantidades, mas sempre de forma consistente. 

Além disso, estamos falando de uma pessoa que não se arrisca quando o assunto são finanças pessoais, uma vez que prefere se sentir seguro em todas as situações. 

Por essa razão, inclusive, que o construtor desenvolve uma relação interessante com os limites que encontra pela vida, não se intimidando por eles. 

Mas, isso não significa que não aproveitem do dinheiro que se tem, apenas são pessoas que pensam duas vezes antes de gastar.

Assim, é um perfil que batalha muito para realizar o que deseja e claro, com tanta persistência e foco, acabam conseguindo, mas sempre pouco a pouco. 

Perfil camaleão

O camaleão é o segundo maior grupo entre os brasileiros, correspondendo a 29% da população atualmente. 

Basicamente, é aquele que “se vira nos 30” em qualquer cenário, nem que seja preciso pedir dinheiro emprestado ou mudar seus hábitos de consumo.

Esse perfil é bem despreocupado financeiramente, uma vez que é aquela pessoa que aceita as coisas como elas são, adaptando-se ao mundo em que vive.

Inclusive, o camaleão é o verdadeiro estereótipo do brasileiro, ou seja, aquela pessoa que está sempre dando um jeitinho para garantir que as coisas deem certo, que tira de um santo para oferecer ao outro, que cobre a cabeça e descobre os pés, porque vive com o cobertor curto…

Mas, se tem uma característica muito boa e que ajuda bastante a não entrar em desespero durante uma crise financeira é que o camaleão mesmo vivendo momentos de dificuldade, segue levando a vida de forma positiva e fazendo os ajustes necessários. 

Esse tipo de pessoa tem convicção de que mesmo a vida financeira não estando estável, será possível realizar aquilo que realmente é importante para si. 

Perfil planejador

O planejador representa 22% da população brasileira, sendo aqueles que calculam sua meta de crescimento, ou seja, quem não acredita em “dinheiro em penca”.

Para esse perfil, ter metas de vida é fundamental e é por isso que o planejador costuma estipular para si mesmo objetivos a serem cumpridos em um tempo determinado, pois isso o estimula a seguir em frente e crescer.

Além disso, são pessoas que possuem uma relação muito forte com o dinheiro e têm no crescimento do próprio patrimônio uma fonte de prazer. 

Segundo pesquisas na área, 80% do perfil planejador afirma que possuem uma reserva financeira para emergências, ou seja, são pessoas super organizadas nas finanças. 

E quem pensa que esse perfil é ruim, saiba que estamos falando de pessoas muito interessantes, sendo considerado o equilíbrio entre ganhar e gastar.

Isso porque o planejador não se assusta nem se incomoda com limitações, muito pelo contrário. É o tipo de pessoa que é movida por desafios, consegue realizar o que deseja, contornando ou ultrapassando aquilo que encontra pelo caminho. 

Além disso, é o tipo de pessoa segura de sua capacidade de organização e realização financeira e pessoal e confia na sua alta racionalidade. 

Resumidamente, é a pessoa que dá valor ao seu dinheiro, pois o usa de forma planejada, nem só acumula como também não só gasta sem pensar no futuro.

Perfil despreocupado

Os despreocupados somam 11% da população brasileira e basicamente são aqueles que acreditam que dinheiro não é tudo.

São pessoas que têm prazer na fluidez dos acontecimentos da vida e nas infinitas possibilidades que ela traz, especialmente quando podemos gastar sem nos preocupar. 

Assim, essa característica faz com que o despreocupado não se planeje nem se comprometa muito com nada, pois isso exigiria foco e seria necessário abrir mão de algumas coisas. 

Esse perfil prefere aguardar e vive intensamente um dia de cada vez, isto é, o famoso ditado: “dinheiro na mão é vendaval”.

Consequentemente, o despreocupado não está atento ao que acontece com seu dinheiro, e isso molda a forma como ele vive a vida, mesmo que isso signifique viver com as contas no vermelho. 

Aliás, é o tipo de pessoa que sabe os valores por alto, mas não tem prazer em lidar com atividades financeiras do dia-a-dia, fazendo com que gaste além do que ganha.

Perfil sonhador

Os sonhadores correspondem a apenas 6% das pessoas e ainda bem, pois deixar o sonho conduzir seus passos não é nada bom para finanças pessoais. 

Esse tipo de pessoa tem a mente inquieta, o que pode ser produtivo para sua vida financeira, desde que saiba equilibrar querer com poder.

Normalmente, são pessoas que estão sempre pensando em uma nova oportunidade de investir em algo (tem espírito empreendedor) e são muito ligadas nas oportunidades, mas sempre com a paixão influenciando as escolhas.

Para esse grupo, o propósito daquilo que faz e o prazer que isso proporciona são muito importantes, seja em investimentos em negócios ou em si mesmo (cursos, compras, lazer, entre outros).

Assim, dinheiro é fundamental para suas empreitadas, mas não há apego ao recurso em si ou o quanto tem guardado.

O dinheiro é visto apenas como o meio para realizar um sonho, que sempre é grandioso, não apenas em termos financeiros, mas no que ele pode trazer para a sua vida em termos de sucesso e visibilidade. 

Em resumo: Saber qual o seu perfil financeiro pode ser essencial para aprender a lidar melhor com o seu dinheiro. Em suma, todos os perfis têm seus prós e contras, ou seja, é bom ser “mão de vaca” e ter controle sobre o que gasta, mas também só acumular não lhe trará felicidade. Encontre o que funciona melhor para você e faça do seu dinheiro o seu aliado!